Sunday, April 05, 2009

You're so self-satisfied I don't need you

Eu me apego demais a pessoas, sempre me apeguei. O problema é que muitas vezes nos apegamos e nos magoamos. E aí a gente insiste, porque afinal a gente gosta, né. então pensa que é recíproco. E isso pode durar anos, décadas até. Pode ser com amigo, namorado, irmão, pai ou mãe...
Olha : não é recíproco. Nem sempre.
Não desperdiço mais meu amor, meu carinho, minha preocupação, com quem não valoriza. Não sei mais onde eu li que as pessoas nos amam do jeito delas, e não do jeito que nós esperamos delas. No fundo, cada um só pode dar o que tem.
Que seja. Para isso, é preciso compreensão e empatia, para entender que aquele seu amigo te xinga porque te ama, por exemplo. Ou, sei lá, que sua mãe vive dando palpite na sua vida pessoal (não é o caso da minha, mas sei bem que existe) porque te ama.
Mas e se for gente que não quer dividir nada ? Que só quer receber, receber, receber ? Que não vai compartilhar dores e alegrias, não vai te estender o lenço de papel quando você estiver arrasada, vai ser ingrata, indiferente e cruel ? Ou pior, que só vai se lembrar de você para obter algo ?
Eu já tenho minha vida. Meus verdadeiros amigos, daqueles que não deixam nunca de serem amigos mesmo depois de meses longe, são pouquíssimos mas da melhor qualidade. E graças a Deus, tenho maridón, que é amigo incondicional, amor incondicional e família incondicional.
Não vou mais me desgastar. Viva a sua vida que eu vivo a minha. Seja muito feliz ou não seja. I'm breaking free.

4 comments:

Srta. Bia said...

Apenas conviver nunca é tão simples. Não sei também se as pessoas estão totalmente satisfeitas consigo mesmas, à vezes apenas não rola, é só aquilo que ela tem para dar. Você falou coisas muito verdadeiras nesse post, Carol. E compreender isso e se livrar de várias amarras. Cada um tem que fazer isso mesmo, viver sua vida.

salvatore said...

se apegar e se magoar sao duas faces da mesma moeda.

Milady Carol said...

Srta. Bia, obrigada por vir aqui e por comentar. Mas às vezes é dificil se livrar das amarras, não é ? Beijos pa' ti !

Salvatore, você disse tudo. Uma coisa traz sempre a possibilidade da outra...
E olha, gostei do seu blog ! Também não suporto a banalização da palavra "moderno". Mas me diz uma coisa que eu não entendi : afinal, você mora na Puglia ou no Riudi Xaneiro ? :-)
Apareça sempre por aqui !

fal said...

faço minhas as suas palaras, babe. a gente insiste pq é doida.