Saturday, May 23, 2009

Quem procura acha... coisas bizarras

Impressionante como a Internet mudou a rotina do tradutor. Eu, que comecei a estudar em 2000, nem sei como era a tradução antes da Internet e do dicionário em CD-ROM, apesar de eu ainda usar um Aurelião impresso que costuma resolver mais rapido do que o do computador.
Eu traduzo pouco, meu trabalho maior é a coordenação dos projetos de tradução. Mas de vez em quando, se parece que vai ser melhor fazer in-house (conhecimento do jargão da firma, etc.) e principalmente se der tempo, a gente faz. E ontem lancei uma pesquisa para ilustrações de "quatruple bypass". E descobri isso.

Chamei a caléga pra ver comigo e NÃO é piada, o restaurante existe mesmo em Chandler, Arizona. O Quadruple Bypass Burger tem 8000 calorias. OITO MIL CALORIAS. Eu nem sabia que dava para comer isso tudo numa refeição so sem passar mal. E o buffer all-you-can-eat de batatas fritas na banha ? E a promoção "quem pesa mais de 160 kg come de graça" ?

Eu fiquei chocada mas depois me peguei pensando : pelo menos o tal Dr. John não tenta enganar ninguém,.

Quando vejo as propagandas dos fast-foods que tentam te convencer que a comida deles é super saudável, boa para crianças e adultos, e que eles se preocupam com o seu bem-estar, também fico chocada. Adoro comerciais de fast-food cheios de pessoas lindas, saudaveis e gostosonas comendo saladas e bebendo duma garrafinha d'agua... Confesso que gosto de um junk food de vez em quando, e vamos combinar, quase ninguém come saladinha. Ou alguém vai conseguir me convencer que o produto mais vendido no Méqui são as saladas de frango grelhado com alface ? Ora me poupe. A ultima é que eles fazem o hamburguer com pão integral, como se isso tornasse o Bigue Méqui quase uma refeição macrobiotica. Palhaçada total.

Monday, May 18, 2009

A Srta. Bia recomendou, eu assisti e adorei. Segui os conselhos dela, tirei os links la do blog maravilhoso dela e aqui esta, para quem quiser assistir.

Está na hora de exercermos nossa capacidade de consumo com discernimento. Não precisa todo mundo virar hippie, mas pensar em diminuir o desperdício, a exploração dos pequenos produtores, o sofrimento animal e a poluição... Um pouquinho de cada vez :-)

CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO
Um documentário sobre publicidade, consumo e infância.

Produtora: Maria Farinha Produções
Direção: Estela Renner
Produção Executiva: Marcos Nisti

Parte 1 - http://www.youtube.com/watch?v=dX-ND0G8PRU

Parte 2 - http://www.youtube.com/watch?v=UkcVM0Vcwd0

Parte 3 - http://www.youtube.com/watch?v=eq0gqEeaNL8

Parte 4 - http://www.youtube.com/watch?v=2d0DWuZsAfM

Parte 5 - http://www.youtube.com/watch?v=88v1i9BXTS8

Créditos finais - http://www.youtube.com/watch?v=Oqk7uUnEurY

Sunday, May 17, 2009

Arroz metido a besta com verduras


Ou... Risotto approximatif aux petits légumes printaniers para as visitas :-) O arroz é metido a besta porque é metido a risoto, mas não é... Porque não foi com arroz arborio, basta um arroz de grão curto ou até arroz normal mesmo se for o que tiver em casa. Não esquentei a barriga no fogão mexendo sempre, e leva creme de leite. Mas fica tão bom...

Para 2 pessoas


1 copo pequeno de arroz (eu usei semi-integral, uns 130g)
1 colher (café) de óleo

1/2 copo de vinho branco
1 punhado bem grande de folhas de espinafre

8 cogumelos frescos grandes (ou uma lata pequena)

4 aspargos verdes
1 cubo de caldo de legumes

4 colheres (sopa) bem cheias de parmesão ralado

1 colher (sopa) rasa de manteiga

2 colheres (café) de creme de leite
1 cebola

2 dentes de alho


Lavar as folhas de espinafre com cuidado para tirar toda a areia. Cortar em tiras e colocar numa panela vazia, em fogo baixo. Tampar e cozinhar os espinafres no próprio vapor, só até as folhas murcharem. Leva uns 5 minutos. Escorrer bem.
Picar a cebola e o alho bem miudinhos. Fatiar os cogumelos, tirar a base dos aspargos e cortar em pedaços de uns 2 cm.
Em uma panela, aquecer o óleo. Refogar a cebola e o alho até ficarem transparentes. Acrescentar os cogumelos, refogar uns 2 minutos. Adicionar o arroz e refogar mais 5 minutos, mexendo sempre. Jogar o vinho branco na panela e mexer bem até o arroz absorver o vinho e o alcool evaporar.
Colocar na panela 2,5 copos de água e o caldo de legumes esfarelado. Mexer bem e tampar. Deixar cozinhar uns 12 minutos, mexendo de vez em quando. Colocar os aspargos, mexer e deixar cozinhar mais uns 5 minutos. Quando o arroz estiver al dente, tirar do fogo, colocar a manteiga, o creme de leite e o parmesão e mexer muito bem.
Servir em seguida.

Monday, May 11, 2009

J'irai revoir (l)a Normandie

Voltamos hoje da Normandia, para mim uma das regiões mais lindas da França. Campos verdejantes com milhares de vaquinhas pastando, campos amarelo-ouro cobertos de flores de colza, centenas de macieiras em flor... E quem disse que na Normandia só chove ? Foi sol todos os dias, começou a chover quase no momento exato em que saímos de lá e entramos na (preguiiiiiça) Ile-de-France.

Campo de colza

Se aquele espanhol não tivesse abocanhado meu prêmio do Euromilhões, tinha comprado hoje mesmo uma casa em Houlgate e outra no interior, no paraíso verde entre o mar e Caen...

Caen
Floresta perto de Honfleur

Houlgate

O D-Day também foi na Normandia. Visitamos Omaha Beach, a Pointe du Hoc (um dos pontos primordiais do desembarque americano na França) e o cemitério militar americano de Colleville-sur-Mer. A impressão que estas visitas me dexaram foi dolorosa e triste, mas acho que é necessário ver para se ter uma idéia da dimensão do débarquement. A Pointe du Hoc foi a que mais me impressionou, é um dos poucos lugares onde o terreno foi deixado mais ou menos como estava depois da guerra... V ver as crateras feitas pelas bombas, a altura da falésia escalada pelos soldados americanos, as fortificações alemãs, os canhões... Fiquei sem palavras. Jacques Prévert já disse, "quelle connerie la guerre".
La Pointe du Hoc
Omaha Beach