Monday, December 31, 2007

Bananê !

Nunca me importei muito com festa de ano-novo. Sou meio bicho-do-mato, nunca fui muito de buatchy (do Papel Pobre, R.I.P.), festa do tipo gente bonita, clima de paquera, e nunca pulei ondinhas porque nunca havia ondinhas por perto. Quando muito, os amigos mais próximos e a família num jantar mais legalzinho, abrimos o champanhe à meia-noite, um brinde e pronto.

De qualquer forma, não vai ter festança inclusive porque amado marido vai trabalhar até as 23 horas, e aí haja pique né ? Mas mesmo assim, mudei de idéia e resolvi fazer alguma coisa diferente, mesmo que seja só um pouquinho.

2007 foi doce e amargo. Doce, porque me casei com o melhor homem, o melhor marido, que me faz feliz todos os dias, todas as horas. Porque conseguimos nosso apê tão facilmente, nessa cidade em que moradia é uma selva, principalmente para um casal de estrangeiros. Porque temos emprego e podemos pagar nossas contas sem susto. Porque fui à China pela primeira vez na minha vida. Porque estamos com saúde.

Amargo, porque uma grande amiga perdeu sua bebezinha linda, minha afilhada. Depois, uma pessoa maravilhosa que eu nunca vi ao vivo mas que eu aprendi a amar perdeu seu amor, e meu Deus, como doem em mim essas dores… A sensação de injustiça, de impotência diante de dores tão grandes e, claro, de medo, me fizeram pensar muito. Clichê, sim, mas às vezes esquecemos de valorizar certas coisas, e o dia-a-dia toma conta da gente tão depressa !

Então desejo muito amor, paz, serenidade, força e coragem a todos. E que venha 2008 !