Wednesday, September 28, 2005

Gosto se discute, sim. Mas cada um tem o seu.

Por causa de um debate ferrenho com um cliente que não sabe falar sem emitir perdigotos, crio coragem pra sair do armário: Victor Hugo não merece a fama de maior escritor de língua francesa que já existiu.

Em tempo: a poesia eu acho bonita, apesar de não chegar aos pés de um Chateaubriand com azia ou de um Rimbaud com enxaqueca pós-absinto. Como romancista, ele é um tanto quanto moralista e chato.

Depois de ler Os Miseráveis, pensei que o homem quis fazer um ensaio filosófico à la Voltaire em Candide ou L'Ingénu: uma história ilustrando preceitos filosóficos. Muito justo, mas Voltaire mostrou que é possível fazer isso numa história de umas poucas dezenas de páginas, e ele escolheu o humor. ... Já Hugo tentou fazer a filosofia humana de uma sentada, o que torna Os Miseráveis, se você for lê-lo como tratado filosófico, dificílimo de assimilar. Se, como eu, quiser ler pelo prazer de um bom livro, prepare-se para centenas de páginas de dissertações sobre o Estado, a Criança, a Polícia, que, desculpem os fãs, não são nada atemporais e são escritas naquele estilo clássico que tem o ritmo de um cágado maconheiro.

Já as partes com Jean Valjean, Cosette, Marius, Gavroche, Javert e toda a patota valem a pena pela beleza da história e pela dinâmica da escrita. Mas haja paciência para aguentar os interlúdios em que o senador acorda e enxota o escritor! Pra resumir: um livro esquizofrênico. Eu li (2 vezes!), mas apliquei ao pé da letra um dos mandamentos do leitor enunciados por Daniel Pennac: todo leitor tem o direito de pular páginas!

O maior escritor de língua francesa... Victor Hugo é venerado como um deus aqui na França. Qualquer vilarejo do interior da Auvergne tem sua rue/place Victor Hugo. Mas admiro muito mais a obra literária de Balzac, de Zola, de Maupassant e do Alexandre Dumas, que até hoje considero um injustiçado da literatura.

E tenho dito.

3 comments:

Celinho said...

Gostei do "ritmo de um cagado maconheiro"..lol
Nao tenho tanta autoridade pra falar dele porque so li os Miseraveis, mas sempre achei as intençoes dele um pouco pretensiosas..
Beijos! =D

Fred said...

Pois não é que está aqui? Como sabes, estou de acordo contigo mas Chateaubriand só era bom com as mulheres! :o)
E eu que estou aqui a comentar e não trabalho?
E Lisboa é muito melhor do que o Porto! (provocação gratuita)

bia said...

Ah eu nem pulo as páginas vou direto par ao fim e largo de vez. E ei... bom sasaber que se rendeu a caixinha de comentários, ou será que só eu não a via por aqui?

E bem... alguém que escreve algo chamado Os Miseráveis não deve ser lá muito bem humorado, já Voltaire é só ver a ironia do título Cândido. Por mim, Asterix e obelix podem ganhar mais ruas.